São Roque

Nome: São Roque

Nascido em: Montpellier

Protetor: Trabalho em pedreiras

Males: Doenças contagiosas, Epidemias, Peste

Biografia: São Roque nasceu no ano de 1295, na cidade de Montpellier, França, em uma família muito rica e tradicional da região. Seu pai chegou a ocupar o posto de governador, mas após a sua morte, São Roque vendeu toda a herança, repartiu o dinheiro entre os pobres da cidade e foi para Roma. Como um humilde peregrino, visitou os santuários e passou 3 anos rezando nas tumbas dos apóstolos.

Em uma de suas peregrinações à cidade de Aquapendente, ele encontrou quase toda a população contaminada pela peste do tifo. São Roque, com apenas um sinal da cruz, curou a todos e foi para outras cidades, como Modena, Parma e Mantua, onde repetiu o mesmo milagre.

Certo dia, percebeu que havia contraído a peste na perna, e para não ter que ocupar uma cama no hospital, foi para a floresta a fim de morrer na solidão, sem incomodar a ninguém. Inexplicavelmente, ali nasceu uma mina de água cristalina, com a qual matava sua sede e se refrescava.

Teria morrido de fome, se um cão não o tivesse encontrado e passado a lhe trazer diariamente um pedaço de pão em sua boca. O dono do cão, intrigado ao perceber o hábito diário do animal, resolveu segui-lo. Foi quando encontrou São Roque, já muito debilitado, e hospedou-o na própria casa até que a saúde dele estivesse plenamente recuperada.

Ao retornar à Montpellier, a cidade estava em guerra e São Roque foi confundido com um espião. Detido pelos militares, permaneceu preso por 5 anos. Durante este período, não deixou de praticar a caridade: divulgando os ensinamentos cristãos, consolava os demais prisioneiros.

São Roque morreu na prisão com 33 anos, no dia 15 de Agosto de 1378, de causa desconhecida. Somente após sua morte descobriram tratar-se do filho de um ex-governador, ao perceberem que em seu peito havia o sinal da cruz, feito pelo seu pai ainda na infância.

Seu primeiro milagre pós morte foi com o seu carcereiro, que era manco de nascença e ficou totalmente curado ao tocar com o pé em São Roque, para ver se o mesmo estava dormindo ou morto.

A canonização de São Roque foi muito rápida, pois durante o Concilho de Constance uma peste ameaçava a cidade, e os representantes, tendo invocado a proteção de São Roque, viram a praga desaparecer por completo. Seu culto, então, foi imediatamente aprovado.

Frente a realidade de que Deus vai cada vez mais fundo nos seus Mistérios para com os generosos, São Roque, ao encontrar com muitas pessoas vítimas de pestes e outras inúmeras situações de misérias humanas, pôde se deparar com a felicidade de doar a si mesmo pelo bem do outro. Como "bom samaritano", São Roque foi enfermeiro, consolador, coveiro e traumaturgo e, como Cristo, soube amar até a morte.

Orações: Ó São Roque, tu que deixaste a tranqüilidade do lar e foste socorrer os doentes. Não recuaste nem mesmo diante da peste e da morte. Lembra-te de nós e socorre-nos com igual amor. Defende as nossas criações da peste e da doença. Dá-nos saúde, paz na família e espírito comunitário. Fortalece em nós a fé e a esperança, na presença de Deus que nos encoraja, na construção de um mundo humano e justo. Concede-nos estas graças, pelos méritos de Jesus Cristo, com o qual partilhaste a dor e o sofrimento e que agora vive com o Pai, na unidade do Espírito Santo. Amém !